terça-feira, 6 de dezembro de 2011

SUPLEMENTOS

Olá, pessoas, tudo bem com vocês? Comigo está tudo ótimo, tirando algumas escapadelas no finde. Sábado, tive um casamento de uns amigos do Love e, para não cometer o pior dos estragos, elegi o buffet de comida japonesa como o meu predileto e comi alguns sashimis, mas confesso que não resisti e belisquei 2 docinhos, que piscavam sem parar pra mim...rsrsrs...
Já no domingo, marido e eu acordamos tarde, tomamos café da manhã e fomos aproveitar na piscina o sol que brilhava no céu. Esquecemos do relógio e quando descemos o estômago estava colado nas costas. Partimos pro Pirajá e comemos Filé a Osvaldo Aranha, ou seja, filé mignon, feijão preto, couve e arroz com farofa. DELÍCIA, mas um BAITA OFF, né?
Treino mesmo só no sábado.
Segundona começou com força total – dieta e treino MODE ON!
Depois desse breve relato do finde, vou entrar no assunto do tão prometido post - SUPLEMENTAÇÃO.
Desde o dia 17 de outubro, quando estive com o nutricionista esportivo Rodolfo Peres, iniciei meu plano de suplementação. Após uma análise do meu estilo de vida, biótipo, alimentação e, especialmente, treino, objetivos e expectativas, o Rodolfo sugeriu que eu seguisse um cardápio alimentar mais restrito e fizesse uso de suplementos. Para isso, no entanto, deixou bem claro que eu deveria intensificar os treinos de musculação, pois, ao contrário do que algumas pessoas pensam, devemos treinar para suplementar e não suplementar para treinar, percebem a sutil diferença?
Como minha meta é ganhar massa magra e, depois, definir a musculatura, reduzi o ritmo dos treinos aeróbicos, passei a correr apenas 20 minutinhos por dia, logo ao acordar, em jejum e sem deixar a freqüência cardíaca subir muito, para que as reservas de gordura fossem utilizadas, uma vez que pesquisas apontam que após um longo período de repouso, cerca de 7/9 horas, o organismo nessas condições solicita três vezes mais gordura se comparado à mesma atividade realizada em outro período do dia. Outra mudança foi aumentar o volume de treinos anaeróbicos e deixar de lado o “supertreino”, que tem como um dos objetivos acelerar o metabolismo, auxiliando no emagrecimento.
Assim, ficou acertado entre mim e o Rodolfo que eu faria uso de Whey Protein, BCAA, Glutamina, Caseína e Waxy Maize.
O Whey Protein, o mais difundido dos suplementos, é a proteína extraída do soro do leite e tem como principal função reparar o tecido e auxiliar no crescimento muscular, mas isso para quem impõe ao organismo um desgaste físico alto, pois, se por um lado a falta de proteína pode induzir o catabolismo, ou seja, a perda de massa magra, por outro, o excesso pode levar a um acúmulo de gordura. Mas quanto de proteína devemos ingerir por dia? O consumo ideal indicado é de 2g de proteína por quilo de peso, mas isso, reitero mais uma vez, para aqueles que praticam exercícios físicos.
O BCAA, abreviação de "Branch Chain Amino Acids", que significa "aminoácidos de cadeia ramificada", constitui-se de 3 desses aminoácidos – L-Valina, L-Leucina e L-Isoleucina e atua no organismo garantindo até 35% da massa muscular corporal, sendo indispensáveis para a manutenção e o crescimento dos músculos, pois é sabido que durante o treino intenso de musculação, o corpo entra em estado altamente catabólico, necessitando de nutrientes capazes de abastecer o organismo durante ao atividade física. Assim, com o uso do BCAA, você permite que o seu corpo se utilize da energia que demanda, ao longo dos treinos, através dos aminoácidos presentes nos músculos por meio da ingestão do suplemento. Dessa maneira, ao fornecer esses aminoácidos de cadeia ramificada aos músculos, você faz com que os músculos não parem de sintetizar proteínas e, consequentemente, que o organismo não entre em catabolismo.
A Glutamina, por sua vez, é também um tipo de aminoácido, cuja função é também promover o crescimento muscular. Segundo alguns sites que pesquisei, este efeito pode estar associado à sua capacidade de captar água para o meio intracelular, o que estimula a síntese protéica. Associada ao BCAA no pós treino, a glutamina também ajuda na recuperação muscular, evitando a fadiga muscular.
Já a Caseína é um tipo de proteína de absorção extremamente lenta que alimenta os músculos continuamente. Deve ser consumida, preferencialmente, antes de deitar. No meu caso, também faço uso nos lanches da manhã e da tarde.
Por fim, o Waxy Maize, um suplemento novo que caracteriza-se como uma fonte de combustível superior de carboidratos, só que com inúmeras vantagens sobre estes, posto que não contém açúcar e glúten, além de não provocar inchaço, pois não retém água, e eliminar o ácido lático. Ou seja, tudo de bom.com.br...rsrsrs...
Minha suplementação, durante as 8 semanas, ficou assim:
Antes do aeróbico – 5g de glutamina + 5g de BCAA
Após o aeróbico – 5g de glutamina + 5g de BCAA
Café da Manhã – 30g de Whey Protein batido com leite de soja
Lanche da manhã/ da tarde – 30g de Caseína batida com água
Antes do treino anaeróbico - 5g de glutamina + 5g de BCAA
Após o treino anaeróbico - 5g de glutamina + 5g de BCAA + 15g de Waxy Maize + 30g de Whey Protein.

Aí vai a fotinho de tudo o que eu tomo!




P.S. Vocês vão ver aí que tem umas cosinhas de que não falei, mas é porque eu estou tomando por indicação das minhas amigas do S.A. e, no caso do Imedeen Solar, por orientação da minha dermato. Nas férias, vou fazer exposição do corpitcho na praia...hahaha...


Terça-feira que vem é dia de consulta com o Dr. Rodolfo Peres, vamos ver os resultados dessa combinação.
Volto aqui pra contar procês.
Um beijo e ótimo finde!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário